18 de novembro de 2009

A RÃ E A VACA

Check out this SlideShare Presentation:

2 de novembro de 2009

A MINHA ESCOLA DE SONHO, INÊS COELHO





Cada um tem a sua escola de sonho: com artes mágicas, desporto, música...mas para mim a minha escola de sonho seria extremamente simples.
Eu acho que a escola é um espaço onde damos asas à imaginação e estabelecemos as nossas metas e onde, ao mesmo tempo, tomamos as nossas árduas decisões. A escola é como um amigo, só há uma escola perdilecta, aquela que nos deseja levar para além dos horizontes, para que um dia me possa mostrar a essa escola. como se de uma pessoa se tratasse, aquilo em que ela me ajudou a tornar, pois é na escola que mais nos desenvolvemos: desde uma simples semente a uma doce e vigorosa flor.
Tudo depende de cada um , mas a meu entender todo o meu percurso fica marcado comigo a escrever uma composição e a sentir a brisa que vem do mar, a paisagem... e naquela redacção, inspirada no mundo do meu meio escolar, dou por mim a viver o meu lado mais sonhador, despreocupado, alegre e preenchido de bons e maus momentos.
Pode parecer que não, mas o clima de sala de aula em que estou, as condições em que trabalho preenchem muito uma infância. Quando me dirijo para o refeitório e, enquanto vou comendo, vou espreitando para o mundo dos mil e um sabores e das cores, e agradeço aos meus antepassados que tanto se esforçaram para encontrar estas comidas maravilhosas que me fazem despertar os cinco sentidos. Tudo o que quero é uma biblioteca recheada de livros, cada um com um cheiro diferente que me fazem viajar até aos quatro cantos do mundo.
Não é necessário a minha escola ser perfeita, mas o mais importante é que ela, para mim, tenha sentimentos, que o meu coração solitário bata e fundamentalmente, que seja aquela amiga...

2 de setembro de 2009

PROFESSORES: VENDEDORES DE SONHOS


OS MAIORES VENDEDORES DE SONHOS DA SOCIEDADE SÃO OS PROFESSORES: MESMO COM SALÁRIOS BAIXOS, CRÍTICAS CONSTANTES E MUDANÇAS ALARMANTES, ELES TEIMAM EM VENDER SONHOS NO MICROCOSMOS DA SALA DE AULA PARA QUE OS ALUNOS ALARGUEM AS FRONTEIRAS DO SEU INTELECTO E SE TORNEM AGENTES MODIFICADORES DO MUNDO, PELO MENOS DO SEU MUNDO.

24 de agosto de 2009

ERAS LIVRO, BRUNO PEREIRA



Eras livro



Eras livro de encantar


de capa simples


mas conteúdo complexo.


Gostava percorrer, admirar


saltar as páginas tristes


ler e reler até que tudo tenha nexo.


Mas mesmo já te sabendo de cor, sem olhar


não consigo compreender, aceitar


talvez tenha perdido a página onde fugias


talvez seja alguma página rasgada


eu fiquei sozinho na alvorada.

ÀS VEZES UMA PALAVRA, ALICE VIEIRA



ÀS VEZES UMA PALAVRA



Às vezes uma palavra bastava

para que eu soubesse que virias sempre

ao meu encontro

mas depois chegaram imprevistas tempestades

que desenharam estranhas perdições

no mapa dos teus dedos
e as palavras que ninguém quis

silenciaram a festa do meu corpo
e cobriram o teu daquele silêncio imóvel

dos lençóis que se estendem sobre as casas

abandonadas no fim do verão.

A EVOLUÇÃO (???!!!!????)

Os castigos com o passar do tempo

O VERDADEIRO AMIGO

Definição de amizade

SER PORTUGUÊS!!!

Ser português

OS MELHORES ALUNOS!!!!

O sequestro da Ministra

COMO VAI O NOSSO ENSINO!!!!!!

O ensino em portugal

NUNCA SE DEVE DESISTIR!!!

O tesouro...

22 de julho de 2009

Ser como um rio que flui, Paulo Coelho

"A glória do mundo é transitória, e não é ela que nos dá a dimensão da nossa vida - mas a escolha que fazemos de seguir a nossa lenda pessoal, de acreditar nas nossas utopias e de lutar por elas. Somos todos protagonistas da nossa existência e, muitas vezes, são os heróis anónimos que deixam as marcas mais duradouras."

1 de junho de 2009

PARA TODAS AS CRIANÇAS!!!




video

YouTube - Adivinha o quanto gosto de ti - André Sardet

YouTube - Adivinha o quanto gosto de ti - André Sardet

O MELHOR DO MUNDO SÃO AS CRIANÇAS



CLICA NA IMAGEM PARA AUMENTAR
























VIVAM AS CRIANÇAS!!



LIBERDADE

AI QUE PRAZER

NÃO CUMPRIR UM DEVER

TER UM LIVRO PARA LER

E NÃO O FAZER!

LER É MAÇADA

ESTUDAR É NADA.

O SOL DOIRA

SEM LIETRATURA.

O RIO CORRE,BEM OU MAL,

SEM EDIÇÃO ORIGINAL.

E A BRISA, ESSA,

DE TÃO NATURALMENTE MATINAL,

COMO TEM TEMPO NÃO TEM PRESSA...

LIVROS SÃO PAPÉIS PINTADOS COM TINTA.

ESTUDAR É UMA COISA EM QUE ESTÁ INDISTINTA

A DISTINÇÃO ENTRE NADA E COISA NENHUMA.

QUANTO É MELHOR, QUANTO HÁ BRUMA,

ESPERAR POR D.SEBASTIÃO,

QUER VENHA OU NÃO!

GRANDE É A POESIA, A BONDADE E AS DANÇAS...

MAS A MELHOR COISA DO MUNDO SÃO AS CRIANÇAS,

FLORES, MÚSICA, O LUAR, E O SOL, QUE PECA

SÓ QUANDO,EM VEZ DE CRIAR, SECA.

O MAIS DO QUE ISTO

É JESUS CRISTO,

QUE NÃO SABIA NADA DE FINANÇAS

NEM CONSTA QUE TIVESSE BIBLIOTECA...

FERNANDO PESSOA







22 de maio de 2009

22 DE MAIO - DIA DO AUTOR PORTUGUÊS





PINTORES, ESCRITORES, POETAS, MÚSICOS...TANTOS

AUTORES TÊM ENRIQUECIDO A NOSSA CULTURA E AS

NOSSAS VIDAS COM AS SUAS CRIAÇÕES!


SÃO MUITOS E DAS MAIS DIVERSAS ÁREAS OS

AUTORES PORTUGUESES QUE MERECEM, HOJE , A

NOSSA HOMENAGEM E RECONHECIMENTO.


VIVAM OS AUTORES!!!!!!!!!




"O QUE É ISSO DE SER AUTOR, QUE CHAMARIA,

CRIATIVO, OU ATÉ, INVENTOR?


UMA ACTIVIDADE ÍNTIMA QUE TALVEZ SE INICIE COM

UM PROCESSO DE ALQUIMIA DO ESPÍRITO QUE DEPOIS

GANHA FORMA PARA SE TRANSFORMAR EM OBRA.


AUTOR É QUEM ESCREVE, QUEM PINTA, QUEM MODELA,

QUEM COMPÕE, MAS TAMBÉM QUEM REPRESENTA E

QUEM CANTA PORQUE QUEM EXECUTA, TAMBÉM

EXERCE UM ACTO CRIATIVO.


E NÃO SERÁ TAMBÉM AUTOR QUEM NO LABORATÓRIO

INVENTA UMA VACINA OU NUM COMPUTADOR

DESENVOLVE UMA TEORIA ECONÓMICA?


ISTO PORQUE SER AUTOR TEM COMO FUNÇÃO TORNAR

OU OUTROS FELIZES.


MAS SER AUTOR É TAMBÉM UM ACTO DE ALEGRIA

ASSUMIDA QUANDO SE CONTEMPLA A OBRA OU DELA

SE DÁ CONHECIMENTO.


E É AQUI QUE SURGE O PRINCÍPIO INALIENÁVEL DO

DIREITO DE AUTOR.


ELE É SEMPRE DONO DA SUA IDEIA, MESMO QUE

DEPOIS A REPARTA COM A SOCIEDADE. E SÊ-LO-Á

SEMPRE, MESMO QUE A VENDA. DEIXA LEGALMENTE

DE LHE CHAMAR SUA, MAS SABE INTIMAMENTE QUE

LHE PERTENCE.


O SENTIDO DE AUTORIA E DA SUA INVOCAÇÃO COMO

PROPRIEDADE ESTÁ NA FRASE DA CRIANÇA QUE

MOSTAR AO PAI O DESENHO: - ESTE FUI EU QUE FIZ! -

NÃO DEIXANDO QUE OUTRO SE APODERE DA SUA OBRA,

NÃO ENQUANTO OBJECTO, MAS ENQUANTO ACTO

CRIATIVO.


(...)


(JÚLIO ISIDRO)
















20 de maio de 2009

OS AMIGOS (ESSAS PESSOAS TÃO NECESSÁRIAS)



HÁ PESSOAS QUE COM UMA SÓ PALAVRA

DESPERTAM ILUSÕES E ROSEIRAIS;

QUE COM UM MERO SORRISO NOS OLHOS

NOS CONVIDAM A VIAJAR POR OUTRAS TERRAS,

NOS DÃO A CONHECER TODA A MAGIA DO MUNDO.

HÁ PESSOAS QUE COM UM MERO TOQUE

QUEBRAM A SOLIDÃO, PÕEM A MESA,

SERVEM UM BANQUETE E COLOCAM GRINALDAS;

QUE COM UMA SIMPLES VIOLA

FAZEM UMA SINFONIA CASEIRA.

HÁ PESSOAS A QUEM BASTA ABRIR A BOCA

PARA TOCAR NOS CONFINS DA ALMA,

ALIMENTAR UMA FLOR, INVENTAR SONHOS,

FAZER CANTAR O VINHO DAS PIPAS, COMO

SE FOSSE A COISA MAIS SIMPLES DO MUNDO.

E ASSIM VAMOS DE BRAÇO DADO COM A VIDA,

DESTERRANDO UMA MORTE SOLITÁRIA,

POIS SABEMOS QUE AO VIRAR DA ESQUINA

HÁ PESSOAS ASSIM,

TÃO

NECESSÁRIAS.


















SE EU FOSSE POETA...



Se eu fosse poeta
escolheria ser como tu.
Serias o tema dos meus versos
a rima das palavras de cada estrofe.


Se eu fosse poeta
escolheria um caminho
onde cada pedra seria
a metáfora, a comparação.

Se eu fosse poeta
inventaria um outro eu
saíria de mim
e assim não teria de conviver comigo.

Se eu fosse poeta
apenas seria
abdicaria do sentir
para poder viver.



















LER É...

LER É ...

LER É APRENDER

APRENDER COISAS NOVAS

APRENDER E PERCEBER O QUE SE LÊ

LER É COMPREENDER

SABER

ENTENDER

LER É AMAR AS PALAVRAS COMO ELAS SÃO

LER É SONHAR

LER É AMAR A VIDA

LER É SABER OLHAR OS OUTROS

LER É DIVERTIDO

LER É APROVEITAR O TEMPO

LER É BOM!

LER É...

E SEMPRE SERÁ

O INÍCIO DE UMA GRANDE AVENTURA!










18 de maio de 2009

DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS




MUSEU: SINÓNIMO DE



ARTE
CULTURA

BELEZA

TRADIÇÃO

ESTÉTICA

ANTIGUIDADE

INTEMPORAL

VERDADE

INTOCÁVEL

PINTURA

ANTIGO

RECORDAÇÃO


OBSERVAÇÃO

PATRIMÓNIO

CONHECIMENTO




















4 de maio de 2009

OBRIGADA, MÃE!



QUANDO EU NASCI,
FICOU TUDO COMO ESTAVA.
NEM HOMENS CORTARAM VEIAS,
NEM O SOL ESCURECEU,
NEM HOUVE ESTRELAS A MAIS...
SOMENTE,
ESQUECIDA DAS DORES,
A MINHA MÃE SORRIU E AGRADECEU.
QUANDO NASCI,
NÃO HOUVE NADA DE NOVO
SENÃO EU.
AS NUVENS NÃO SE ESPANTARAM,
NÃO ENLOUQUECEU NINGUÉM...
PRA QUE O DIA FOSSE ENORME,
BASTAVA
TODA A TERNURA QUE OLHAVA
NOS OLHOS DE MINHA MÃE...
(Sebastião da Gama)
















29 de abril de 2009

DE QUE MATÉRIA SÃO FEITAS AS MÃES?



DE QUE MATÉRIA SÃO FEITAS AS MÃES?
AS MÃES SÃO FEITAS DE TUDO
SÃO PEDAÇOS DE SOFRIMENTO
DOR
RESIGNAÇÃO
VONTADE
FIRMEZA
CORAGEM
VERDADE.
AS MÃES SÃO FEITAS DE AMOR
RECHEADAS DE CARINHO
E MUITA PACIÊNCIA.
AS MÃES SÃO FEITAS
DE UMA MATÉRIA ESPECIAL:
SÃO ÚNICAS E INFINITAS
MÃES SÃO PARA SEMPRE.















23 de abril de 2009

1O RAZÕES PARA ESCREVER PARA CRIANÇAS SEGUNDO ISAAC BASHEVIS SINGER, NOBEL DE 1978






10 RAZÕES PARA ESCREVER PARA CRIANÇAS, SEGUNDO ISAAC BASHEVIS SINGER, NOBEL DE 1978



  1. AS CRIANÇAS LÊEM LIVROS E NÃO RESENHAS.ELAS NÃO DÃO A MÍNIMA IMPORTÂNCIA À CRÍTICA.

  2. AS CRIANÇAS NÃO LÊEM PARA ENCONTRAR A SUA IDENTIDADE.

  3. ELAS NÃO LÊEM PARA SE VEREM LIVRES DE CULPA, PARA SACIAR A SUA SEDE DE REBELIÃO, OU PARA DESEMBARAÇAR DE ALIENAÇÃO.

  4. ELAS NÃO VÊEM UTILIDADE NA PSICOLOGIA.

  5. ELAS DETESTAM SOCIOLOGIA.

  6. ELAS NÃO TENTAM ENTENDER KAFKA OU CAMÕES.

  7. ELAS AINDA CRÊEM EM DEUS, NA FAMÍLIA, AMIGOS, DEMÓNIOS, BRUXAS, GNOMOS, LÓGICA, CLARIDADE, PONTUAÇÃO E OUTRAS COISAS OBSOLETAS.
  8. ELAS AMAM ESTÓRIAS INTERESSANTES, NÃO COMENTÁRIOS, GUIAS OU NOTAS DE RODAPÉ.

  9. QUANDO UM LIVRO É CHATO, ELAS BOCEJAM DESCARADAMENTE, SEM QUALQUER VERGONHA OU MEDO DA AUTORIDADE.

  10. ELAS NÃO ESPERAM QUE SEU BEM AMADO ESCRITOR REDIMA A HUMANIDADE. JOVENS COMO SÃO, ELAS SABEM QUE ISTO NÃO ESTÁ SOB O PODER DELE. APENAS ADULTOS POSSUEM TAIS ILUSÕES INFANTIS.
























LIVRODEPENDENTE


DESCOBRE SE ÉS LIVRODEPENDENTE.

AQUI ESTÃO OS SINTOMAS:

  • Sentir uma vontade irreprimível de entrar em todas as livrarias.
  • Ter vontade de comprar todos os livros expostos.
  • Dificuldade em decidir que livros não comprar desta vez.
  • Preferir um livro à novela das nove.
  • Ler dois ou mais livros ao mesmo tempo.
  • Ter sempre, no mínimo, meia duzia de livros à mão.
  • Reler os livros preferidos como se fosse a primeira vez.
  • Ler as contracapas dos livros que de certeza não vou comprar.
  • Saltitar as páginas à procura das passagens mais apetecíveis.
  • Decorar os títulos dos livros do top de vendas.
  • Pesquisar novos livros dia sim dia sim.
  • Emocionar-se com a descoberta de um autor.
  • Dificuldade em aceitar que o livro chegou ao fim.
  • Não conseguir pousar o livro sem antes terminar o capítulo.
  • Acordar com o nome do livro que ontem me recomenderam.
  • Continuar a ler o livro apesar de este estar fechado.
  • Levar o livro para todos os lados.
  • Tratar os livros com se fossem tesouros.
  • Considerar o livro o depositário de todas as tristezas e a sementeira dos sonhos esquecidos.











O nosso saber, a nossa escolaridade, a nossa carreira, a nossa vida social, são uma coisa. A nossa intimidade de leitor, a nossa cultura, são outra.
É importante que se fabriquem bacharéis, licenciados, professores (...), a sociedade precisa deles, isso não se discute... mas é essencial abrir a todos as páginas de todos os livros.

(Daniel Pennac)








A PALAVRA É UMA PEDRA


NO PRÉDIO DESTA PAISAGEM


DEITO CIMENTO


AMASSO


E O MEU PENSAMENTO


CONSTRÓI


O ARRANHA-CÉUS


DA LINGUAGEM.


(José Alberto Marques)












AS LETRAS ALIMENTAM A ALMA,

RECTIFICAM-NA,

CONSOLAM-NA.


(Voltaire)




É no berço que se aprende a amar a leitura.

É através de lengalengas, de poesia de raiz popular, dos contos tradicionais, que conseguimos captar as crianças para a magia das palavras.

É através da leitura em voz alta que os nossos filhos se tornam bons leitores, porque lá diz Pennac "O VERBO LER COMO O VERBO AMAR OU O VERBO SONHAR NÃO SUPORTAM O IMPERATIVO."


(Alice Vieira)




HÁ QUEM PREFIRA

UM FILME

A UM LIVRO,

MAS EU NÃO.

NÃO CABE EM NENHUM FILME

DO MUNDO

O QUE EXISTE

DENTRO DE UM LIVRO.






10 UTILIDADES PARA OS LIVROS


  1. Enfeitar estantes.
  2. Secar flores.
  3. Presentear um "amigo".
  4. Esconderijo secreto.
  5. Conquistar alguém.
  6. Sentar os miúdos.
  7. Chegar ao armário das bolachas.
  8. Servir de calço para a mesa oferecida pela sogra.
  9. Arma secreta.
  10. Plagiar as frases mais brilhantes.

Neste dia em que se fala de livros e de leitura, não poderia deixar de fazer uma pequena e modesta reflexão sobre o tema.

Uma vez que vivo cercada de livros, convívo com livros, leio livros, interpreto livros, recomendo livros, enfim, RESPIRO LIVROS, pergunto muitas vezes o porquê de os mais jovens, não gostarem de ler. Quando me respondem : "Porque é chato."; "Porque faz mal aos olhos."; "Porque me obrigam a ler livros que não gosto."; "Porque não gosto de livros.", tento conter-me para não deixar transparecer a minha indignação total e não ser considerada uma peça de museu em pleno século das novas tecnologias da informação. Para se saber do que se gosta e, principalmente do que não se gosta, é preciso LER! É fundamental ter uma mente aberta e deixar que os livros nos conquistem pouco a pouco, página a página, estória a estória, autor a autor...até sentir que não podemos respirar sem livros (isto, claro, num estágio de livrodependente declarado e inteiramente assumido!!).

Ao contrário do que se pensa, os livros não são para ser lidos da mesma maneira, ou da maneira que os outros querem. O leitor tem a liberdade de saltar páginas, seleccionar capítulos, voltar atrás as vezes que quiser, saborear ao seu ritmo e, principalmente, a seu gosto o livro que lhe apetecer ler, ou que lhe for oferecido a ler.

Podemos ler por diversas razões: para informação e estudo; por obrigação; por opção; por engano; por gosto; por vício...para nos evadirmos de nós próprios; para nos encontrarmos; para nos reencontrarmos; para reinventarmos o outro ou a nós próprios; para sermos senhores da nossa própria vontade: vontade de imaginar e viver uma estória que alguém escreveu só para nós.

Termino com um conselho: da próxíma vez que tiverem vontade de dizer: "Eu não gosto desse livro!", digam antes:"SERÁ QUE ESTE LIVRO GOSTA DE MIM?"







21 de março de 2009

FERNANDO PESSOA

YouTube - Fernando Pessoa

NA PRIMEIRA PESSOA

O Meu Carácter - Fernando Pessoa - Citador

O Problema da Sinceridade do Poeta - Fernando Pessoa - Citador

O Problema da Sinceridade do Poeta - Fernando Pessoa - Citador

AQUI NO POETA OU POETA ME APRESENTO


AUTOPSICOGRAFIA ( Fernando Pessoa)
O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
que chega a fingir que é dor
a dor que deveras sente.
E os que lêem o que escreve,
na dor lida sentem bem,
não as duas que ele teve,
mas só a que eles não têm.
E assim nas calhas de roda
gira , a entreter a razão,
esse comboio de corda
que se chama o coração.

ISTO (Fernando Pessoa)

Dizem que finjo ou minto

tudo que escrevo. Não.

Eu simplesmente sinto

com a imaginação

não uso o coração.

Tudo o que sonho ou passo,

o que me falha ou finda,

é como um terraço

sobre outra coisa ainda.

Essa coisa é que é linda.

Por isso escrevo em meio

do que não está ao pé,

livre do meu enleio,

sério do que não é.

Sentir! Sinta quem lê!

SER POETA (Florbela Espanca)

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior

do que os homnes! Morder como quem beija!

É ser mendigo e dar como quem seja

Rei do Reino de Áquem e de Álem Dor!

É ter mil desejos e o esplendor

e não saber se quer o que se deseja.

É ter cá dentro um astro que flameja,

é ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de infinito!

Por elmo, as manhãs de oiro e cetim...

É condensar o mundo num só grito!

E, é amar-te, assim, perdidamente...

E seres alma, e sangue, e vida em mim

E dizê-lo cantando a toda a gente!

PERDIGÃO PERDEU A PENA (Luís Vaz de Camões)

Perdigão perdeu a pena

não há mal que não lhe venha.

Perdigão que o pensamento

subiu a um alto lugar,

perde a pena de voar,

ganha a pena do tormento.

Não tem no ar nem no vento

asas com que se sustente;

não há mal que lhe não venha.

Quis voar a uma alta torre

mas achou-se desasado;

e vendo-se depenado,

de puro penado morre.

CHEGOU A PRIMAVERA!

Vamos ver, pé antepé, em silêncio, com cautela. Quem será? Afastamos a cortina da janela e que espanto, quase susto! Do outro lado do vidro, um espectáculo colossal: é o sol, o brilho e o céu; são as flores e as ervas verdes; é um bando de andorinhas que esvoaçam como loucas.
- Meu Deus, mas o que é isto?! - dizes tu, toda confusa.
- É a Primavera que já veio. - digo, toda contente.
- A prima quê?! - não sabias de tal prima.
- Não é prima; é a Primavera.
Abrimos a porta ao tempo novo que voltou. Mais um ano que renasce.
Primavera...Primavera...Primavera.
(Conceição Marques)








RECADO DE PRIMAVERA


















A PRIMAVERA É ASSIM

Olha, olha aquela andorinha
como ela voa airosa!
Passou junto a uma rosa
para acariciar uma borboleta
que nessa rosa estava poisada.
Olha, olha aquele malmequer
que estende os seus braços brancos
prontos a dar a saber quem as quer.
As abelhas vão beijando as flores
nesta estação dos amores
que agora vem de começar.
Dois corações que se adoram
quatro lábios que se devoram.
Que querem?
Primavera é assim!
(A. Fonseca)








VIVA A POESIA


RETRATOS E PALAVRAS

"Escrever é esquecer .
A literatura é a maneira mais agradável
de ignorar a vida.
Um poema é a expressão de ideias
ou de sentimentos
duma linguagem que ninguém emprega,
pois ninguém fala em verso."
( Fernando Pessoa)


"Escrever é comover
para desconvocar a angústia
e aligeirar o medo...
Ama-se a palavra
usa-se a escrita
despertam-se
as coisas do silêncio
em que foram criadas."
(Agustina Bessa-Luís)





























17 de março de 2009

OS MOTIVOS PARA DIZER P.S.

NegritoOs motivos para dizer P.S.:

Amo-te!


Tenho saudades tuas!


Não te esqueças de mim!


Escreve depressa.


Consegui o emprego!

Estás sempre comigo!


Volta logo!


Tem cuidado!


Já li o livro que me ofereceste. Adorei!

Traz-me chocolates!



...













16 de março de 2009

Há livros que nos tocam...

Há livros que nos tocam
como se tivessem mãos.
Há livros que gritam o nosso nome.
Há livros que se tornam nossos confidentes
e partilham connosco segredos.
Há livros que são os depositários das nossas tristezas
e conseguem chegar à nossa alma.
Há livros que partem à aventura
levando-nos como companhia.
Há livros que nos escolhem
para serem lidos.
Há livros que repetem
o prazer da viagem.
Um de muitos foi : "Chocolate" de Joanne Harris.
E o(s) teu(s)?













11 de março de 2009

UMA HISTÓRIA COM PALAVRAS, António Fanha

Era uma vez um livro de histórias cheio de letras como todos os livros. estava guardado na prateleira de uma estante, num armário ao fundo de uma casa e há muito tempo que ninguém lhe pegava para o folhear e o ler.
As palavras estavam para ali muito alinhadinhas mas fartas de estar fechadas nas páginas do livro, sem ninguém que as lesse e as dissesse em voz alto, e lhes permitisse espreguiçarem-se e darem uma voltinha para estender as pernas.
Não é de admirar que um dia, as letras que formavam a palavra borboleta tenham começado a tremelicar, a chocar umas com as outras e, de repente, a palavra borboleta tenha saído do livro a voar.
Atrás dela seguiu a palavra foguetão que não quis ficar para trás e, num instante, entrou em órbita.
Entusiasmada, a palavra canguru saltou de página em página até saltar também do livro para fora.
E muitas outras palavras seguiram este estranho exemplo.
A palavra cavalo lá se foi, naturalmente, a galope. A palavra fervura ferveu e desapareceu numa nuvem de vapor no ar. A palavra gelado derreteu-se. A palavra sapato disse que precisava de umas meias solas e pôs-se a andar.
Cada palavra lá foi andando da maneira que pôde. Mesmo palvras pesads como gordo, ou lentas como caracol, com maior ou menor dificuldade, acabaram por escapar do livro. E foi assim que, a pouco e pouco, as páginas foram ficando em branco e o livro vazio e sem histórias para contar.
No meio daquelas páginas todas só tinha ficado a palavra lápis que se sentiu muito triste ao ver-se ali sozinha.
Por isso, pôs-se a inventar uma história e começou a escrevê-la cheia de palavras redondas, quadradas e bicudas, umas mais magrinhas, outras barrigudas.
E escreveu palavras e palavras a rodo e, assim, acabou por encher de novo o livro todo.


10 de março de 2009

ERA UMA VEZ UM PÁSSARO...


Era uma vez um pássaro. Adornado com um par de asas perfeitas e plumas reluzentes, coloridas e maravilhosas. Enfim, um animal feito para voar livre e solto no céu, e alegrar quem o observasse.


Um dia, uma mulher viu o pássaro e apaixonou-se por ele. Ficou a olhar o seu voo com a boca aberta de espanto, o coração batendo mais rapidamente, os olhos brilhando de emoção. Convidou-o para voar com ela, e os dois viajaram pelo céu em plena harmonia. Ela admirava, venerava, celebrava o pássaro.

Mas então pensou: talvez ele queira conhecer algumas montanhas distantes! E a mulher sentiu medo. Medo de nunca mais sentir aquilo por outro pássaro. E sentiu inveja, inveja da capacidade de voar do pássao.

E sentiu-se sozinha.

E pensou : "Vou montar uma armadilha. Da próxima vez que o pássaro surgir, ele não partirá mais."

O pássaro, que também estava apaixonado, voltou no dia seguinte, caiu na armadilha, e foi preso na gaiola.

Todos os dias ela olhava o pássaro. ali estava o objecto da sua paixão, e ela

mostrava-o às suas amigas, que comentavam: "Mas tu és uma pessoa que tem tudo."

Entretanto, uma estranha transformação começou a processar-se: como tinha o pássaro, e já não precisava de o conquistar, foi perdendo o interesse. O pássaro, sem poder voar e exprimir o sentido da sua vida, foi definhando, perdendo o brilho, ficou feio - e a mulher já não lhe prestava atenção, apenas prestava atenção à maneira como o alimentava e como cuidava da sua gaiola.

Um belo dia, o pássaro morreu. Ela ficou profundamente triste, e passava a vida a pensar nele. Mas não se lembrava da gaiola, recordava apenas o dia em que o vira pela primeira vez, voando contente entre as nuvens.

Se ela se observasse a si mesma, descobriria que aquilo que a emocionava tanto no pássaro era a sua liberdade, a energia das asas em movimento, não o seu corpo físico.

Sem o pássaro, a sua vida também perdera o sentido, e a morte veio bater à sua porta. "Porque vieste?" perguntou à morte.

" Para que possas voar de novo com ele nos céus", respondeu a morte. "Se o tivesses deixado partir e voltar sempre, amá-lo-ias e admirá-lo-ias ainda mais; porém, agora precisas de mim para poderes encontrá-lo de novo."

ILUSÃO




Era uma vez um camponês gordo e feio


que se tinha apaixonado (porque não?)


por uma princesa bonita e loira...


Um dia, a princesa - vá lá saber-se porquê -


deu um beijo ao camponês gordo e feio...


E, magicamente, este transformou-se


num príncipe esbelto e ataviado.


(Pelo menos, era assim que ela o via...)


(Pelo menos, era assim que ele se sentia...)


PAIXÃO: AFASTAR-SE OU ENTREGAR-SE?




A paixão faz a pessoa deixar de comer, dormir, trabalhar, estar em paz. Muita gente fica asustada porque, quando aparece, derruba todas as coisas velhas que encontra.


Ninguém quer desorganizar o seu mundo. Por isso, muita gente consegue controlar essa ameaça, e é capaz de manter de pé uma casa ou uma estrutura que já está podre. São os engenheiros das coisas superadas.

Outras pessoas pensam exactamente o contrário: entregam-se sem pensar, esperando encontrar na paixão as soluções para todos os seus problemas. Depositam na outra pessoa toda a responsabilidade pela sua felicidade, e toda a culpa pela sua possível infelicidade. Estão sempre eufóricas porque algo maravilhoso aconteceu, ou deprimidas porque algo que não esperavam acabou por destruir tudo.

Afastar-se da paixão, ou entregar-se cegamente a ela - Qual destas duas atitudes é a menos destrutiva?

Não sei? E tu?



Quando nos encontramos com alguém e nos apaixonamos,

temos a impressão de que

todo o Universo está de acordo;

hoje eu vi isso no pôr do Sol.

No entanto, se algo corre mal, não sobra nada!

Nem as graças, nem a música ao longe,

nem o sabor dos lábios dele.

Como é que pode desaparecer

tão rapidamente

a beleza

que ali estava há poucos minutos?

A vida é muito veloz:

faz-nos ir do céu

ao inferno

numa questão de segundos.




























É PRECISO LER!

É preciso ler: é uma petição de princípio para os ouvidos dos adolescentes. Por mais brilhantes que sejam as nossas demonstrações, não passa de um apetição de princípio.
Os alunos que descobrem o livro por meio de outros canais continuarão tranquilamente a ler. Os mais curiosos guiarão as suas leituras pelos faróis das nossas luminosas explicações.
De entre os "que não lêem", os mais avisados saberão aprender, como nós, a falar à volta de: aperfeiçoam-se na arte inflacionária do comentário (leio dez páginas, disserto dez páginas), na prática jívaro da ficha (percorro 400 páginas, reduzo-as a cinco),na pesca de citações judiciosas (nos compêndios de cultura congelada disponíveis nos comerciantes de sucesso), saberão manejar o escapelo da análise linear e tornar-se-ão peritos na sábia cabotagem entre "pedaços escolhidos", que conduz com segurança ao bacharelato, à licenciatura, até à agregação...mas não necessariamente ao amor ao livro.
Restam os outros alunos.
Os que não lêem e que se aterrorizam logo à partida com as radiações do sentido.
Os que se julgam estúpidos...
Definitivamente privados de livros...
Definitivamente sem respostas...
E em breve também sem perguntas.








9 de março de 2009

OS DIREITOS INALIENÁVEIS DO LEITOR




1


O Direito de Não ler


2


O Direito de saltar Páginas


3


O Direito de Não acabar Um livro


4


O Direito de Reler


5


O Direito de Ler não Importa o Quê


6


O Direito de Amar os "Heróis" dos Romances


7


O Direito de Ler Não Importa Onde


8


O Direito de Saltar de Livro em Livro


9


O Direito de Ler em Voz Alta


10


O Direito de Não Falar do Que se Leu